Independence Day: o Ressurgimento - Partiu Cinema

Clean Page | Cursos | Ofertas




Independence Day: o Ressurgimento

É preciso ter paciência.

Quando vi o primeiro Independence Day escrevi para um site algo como “o presidente dos Estados Unidos pilotando um  jato supersônico ataca e aniquila sem dó os alienígenas malvados e salva toda a humanidade”. Claro, nem precisaria nem dizer, escrevi isso com toda a ironia e deboche possível, pois a cena e o contexto era de uma inverossimilhança fenomenal e inapropriada.

Eis que Independence Day: O Ressurgimento é lançado duas décadas depois do primeiro e se eu escrevesse o mesmo texto sobre o presidente americano ele seria novamente fiel ao enredo do filme, com a diferença que dessa vez ele morre. O que talvez seja uma boa notícia, senão correríamos o risco de ver um ancião trucidando os alienígenas novamente daqui a outros 20 anos.

Claro que um filme, livro, poema, seja o que for, pode abordar o tema que bem entender. Elefantes rosas voadores podem ser algo extremamente natural e comum, dependendo do contexto em que aparecem. Toda obra tem que ter a dita verossimilhança interna. Se tiver, podem os elefantes rosados voarem livremente sem o menor problema.

Erro básico

O que não pode, e é o que acontece, algo fugir do razoável. Por favor, basta um mínimo de senso crítico e de conhecimento para saber que quem comanda aviões de combate são os pilotos, treinados à exaustão para isso, e não um burocrata político, mesmo sendo ele (contém ironia novamente) o presidente dos EUA.

Mas não é somente isso. Independence Day: O ressurgimento é todo ruim. É um clichê encima do outro. Ele é chato, longo – intermináveis 135 minutos -, enfadonho. A trilha também deixa a desejar e os efeitos nada muito animadores.

Posso estar mal influenciado pelo primeiro, talvez não seja tão ruim assim, mas acredito que nem o elenco com nomes como Jeff Goldblum, inesquecível em A Mosca, e a ótima e saltitante Charlotte Gainsbourg, de Meloncolia, salvam o filme.

Enfim, não vejam. Não percam seu tempo.

Está no Telecine, grátis para assinantes.

Seus amigos podem gostar do filme acima.



Quer ajudar o Partiu Cinema?